Turbinada para o verão 2017

Publicado em 01/10/2016

Como já estamos em outubro, com o verão chegando, chega aquela vontade de ficar em forma e não fazer feio na praia e na piscina, então vamos tratar de agilizar as coisas.

Para quem se preparou durante o ano, ótimo, agora é só usar o guarda roupa de verão, com muito vestido sexy, saia curtinha e camiseta para realçar o shape. Agora, para os atrasados de plantão, sempre resta correr e tentar reverter a situação o mais rápido possível.

Para ajudar, vou listar abaixo algumas aulas e minhas observações sobre elas. Corra – literalmente – para começar, ou você vai passar o verão de burka:

1 – Ginástica localizada: a combinação de altas repetições, baixas cargas e posições duvidosas do ponto de vista ergonômico fazem da localizada a mais inútil das tentativas de fazer algo para transformar seu corpo. Esqueça, é coisa do passado.

2 – Abdominais: os músculos abdominais precisam de pouco treino para dar resultado. Desde que bem executadas, três ou quatro séries de 15 a 20 repetições, duas vezes por semana, são mais que suficientes para modelar seus músculos. Pra que fazer 20 ou 30 minutos, se cinco já resolvem seu problema?

3 – Alongamento: se o objetivo é destravar seu corpo, ok, mas esteticamente não muda nada. Como eu já disse aqui, até o nome é errado, pois músculo não alonga, destrava. Use como complemento.

4 – Spinning: excelente atividade aeróbica, conseguindo ao mesmo tempo entreter e treinar. Faça duas ou três vezes por semana e lembre-se que isso não substitui, mas complementa o treino de musculação para as pernas.

5 – Pilates: alongamento e postura são o forte aqui. Mudanças estéticas rápidas, só se forem acompanhadas de musculação.

6 – Treinamento Funcional: Use e abuse. Aula de alta intensidade e que ajuda a secar e manter um excelente condicionamento físico.

Talvez não fosse necessário repetir, mas vamos lá: se você quiser passar o verão bem programe sua alimentação corretamente, capriche nos treinos de musculação e use os aeróbicos para complementar seu trabalho.

Só depende de você! Chega dessa história de aprender inglês dormindo. Força!

Flávio Settanni